Ariana Grande tirou deste filme aclamado inspiração para o álbum “Eternal Sunshine”, conheça a história

E enfim chegou o dia: neste 8 de março, Ariana Grande lança o seu sétimo álbum de estúdio, “Eternal Sunshine”, após quatro anos de seu trabalho anterior (“Positions”, de 2020).

Assim que revelou o título escolhido, uma comparação foi ilustrada pela própria cantora: é do filme “Eternal Sunshine of the Spotless Mind”, ou “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” em português, que Ariana pinçou a expressão que pontua o novo trabalho musical. A tradução do nome do filme não é 100% literal, já que “sunshine”, que significa raio do sol, foi substituída por “brilho”.

Mas o que importa mesmo é sua narrativa, tanto através da trama quanto das escolhas estéticas que marcam a produção dirigida por Michel Gondry, mago absoluto dos videoclipes nas décadas de 1990 e 2000, lançada em 2004 e protagonizada pelos gigantes Jim Carrey e Kate Winslet; na época, o filme foi premiado com “Melhor Roteiro Original” no Oscar 2005, entregue para Gondry com os autores Charlie Kaufman e Pierre Bismuth.

Qual é a história de "Eternal Sunshine of the Spotless Mind" (ou "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças")

Apesar de planejar um novo álbum apenas para depois de toda a cadeia de lançamento do filme “Wicked”, musical famoso decorrente de “O Mágico de Oz”, onde Ariana interpreta Glinda, a cantora reverteu os planos quando se viu inspirada pelo processo criativo do trabalho no cinema. Em dezembro, começou a soltar pistas de que vinha de fato um novo trabalho musical completo com cenas de bastidores em estúdio de gravação em lágrimas; “nos vemos no ano que vem”, antecipou.

Em janeiro, lançou o primeiro single, “Yes, And?”, onde flerta tanto com a house music quanto com uma nova era de inspiração artística, combinano estátuas clássicas, figurino a la Alaïa e passos marcados de voguing.

Sobre a conexão com o filme de onde saiu o nome do álbum, a gente descobre seus desdobramentos mais detalhados com o lançamento do set de faixas. Em entrevistas, Ariana confessou que enxerga o mix como um álbum-conceito, que desenvolve “diferentes expressões reinterpretadas de uma mesma história, de uma mesma experiênia”, como disse em prévia para a revista Billboard.

Uma referência direto veio através de um dos teasers do disco, um cartão com “AG7” de um lado e coordenadas geográficas do outro, que apontavam para a locação em Montauk, no estado de Nova York, onde foram rodadas cenas do longa-metragem. Ainda em seu perfil no Instagram, Ariana exibiu os versos do poema “Eloisa to Abelar”, do britânico Alexader Pope (nascido no século 18), de onde sai a expressão completa que dá o nome original do filme.

Uma das capas do novo álbum de Ariana Grande, "Eternal Sunshine"

Além do álbum completo, “Eternal Sunshine” também dá nome a uma das faixas do álbum. Entre os 13 títulos, referências a relacionamentos, retorno de Saturno (Ariana completou 30 anos em 2023) e despedidas. Vale lembrar que entre seu último álbum e este, Grande também se divorciou o ex-marido Dalton Gomez em 2023 e assumiu um novo relacionamento, com o ator (e colega de elenco em “Wicked”) Ethan Slater.

Qual é a história de “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”

“Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” segue a história de Joel Barish (Jim Carrey), um homem desiludido com o amor, que decide apagar todas as memórias de seu relacionamento com Clementine Kruczynski (Kate Winslet), uma mulher impulsiva e enigmática. Através de um procedimento radical oferecido pela Lacuna Inc., as lembranças de Joel são apagadas, mas conforme ele revisita seus momentos juntos em sua mente, ele percebe que ainda a ama.

Enquanto isso, Clementine, sem saber que as memórias foram apagadas, decide passar pelo mesmo procedimento depois de descobrir o que Joel fez. No entanto, quando eles se encontram novamente, uma faísca de reconhecimento e atração os une, mostrando que o amor verdadeiro pode superar até mesmo a manipulação da memória. O filme explora a complexidade das relações humanas, a dor da perda e a beleza encontrada no caos do amor.

O filme também é marcante por sua abordagem única e inovadora à temática do amor e da memória. Ao explorar a história do casal, desafia as expectativas do espectador ao desdobrar a narrativa de trás para frente. Esta técnica não apenas mantém o público envolvido, mas também reflete a natureza fragmentada e muitas vezes confusa da memória humana. A química entre Carrey e Winslet é palpável, adicionando uma camada adicional de complexidade e profundidade à história de amor central.

A estética visual de “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” também foi marcada pela inovação. O diretor Michel Gondry ampliou seus recursos que usava nos videoclipes marcantes, como cortes rápidos, efeitos especiais práticos e cenários surreais, para criar um mundo que parece ao mesmo tempo familiar e estranho. Essa abordagem visual não apenas complementa a narrativa não linear do filme, mas também aprofunda a experiência sensorial do espectador, transportando-o para dentro da mente dos personagens. Ao desafiar as convenções narrativas e visuais, o filme nos convida a refletir sobre a natureza da identidade, do sofrimento e, acima de tudo, do amor.

Onde assistir a “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”

O filme original que inspirou parte do trabalho de Ariana Grande está disponível no Brasil através do streaming do Telecine, e também para compra ou locação digital no YouTube; clique aqui para assistir e entrar no clima de cabeça!

Deixe um comentário