Fechar (X)

Mark Zuckerberg e gigantes digitais pedem desculpas por danos causados por redes sociais a crianças; entenda

Uma recente audiência no Senado dos Estados Unidos trouxe à tona uma discussão crucial sobre a responsabilidade das gigantes de tecnologia, como Meta, TikTok, Snap, X (antigo Twitter) e Discord, na proteção das crianças em suas redes sociais.

Mark Zuckerberg, CEO da Meta, administradora do Instagram e Facebook, aproveitou a oportunidade para se desculpar diretamente às famílias presentes, cujos filhos, alegam, foram prejudicados pelo impacto negativo das redes sociais, como reporta a “BBC Brasil” nesta quinta-feira (01/02).

“Ninguém deveria passar pelo que eles passaram”, declarou Zuckerberg, dirigindo-se aos pais durante a audiência, onde os CEOs foram interrogados por quase quatro horas pelos senadores de ambos os partidos. Esta rara oportunidade permitiu aos legisladores dos EUA questionar diretamente os líderes das empresas de tecnologia sobre as medidas adotadas para proteger as crianças online.

Sentados atrás dos diretores das gigantes tecnológicas estavam famílias que compartilharam histórias de filhos que se machucaram ou, tragicamente, tiraram suas próprias vidas devido ao conteúdo encontrado nas redes sociais. Os pais expressaram suas emoções, vaiando os CEOs ao entrar e aplaudindo quando os legisladores abordavam questões desafiadoras.

Embora a audiência tenha inicialmente se concentrado na proteção contra a exploração online, as perguntas dos senadores abrangeram uma variedade de temas, aproveitando a presença dos cinco executivos sob juramento.

O CEO do TikTok, Shou Zi Chew, também enfrentou questionamentos sobre a segurança dos dados de usuários dos EUA, sendo indagado se a empresa compartilhava informações com o governo chinês. Negando veementemente, Chew destacou sua origem em Singapura e afirmou não ter qualquer ligação com o Partido Comunista Chinês.

O senador Tom Cotton explorou ainda mais, perguntando se Chew já foi associado ao partido, recebendo respostas firmes sobre sua não afiliação. O diretor do TikTok ressaltou ser pai de três filhos pequenos, reconhecendo as preocupações levantadas como “horríveis e o pesadelo de todos os pais”. Ele acrescentou que, em conformidade com as regras em Singapura, seus próprios filhos não usavam o TikTok, já que menores de 13 anos são proibidos de criar contas.

A audiência representou um marco importante, destacando a necessidade urgente de ações e políticas mais rigorosas para garantir a segurança das crianças na vida digital, enquanto os líderes das principais empresas de tecnologia enfrentam um escrutínio cada vez mais intenso por parte dos legisladores.

brother and sister sitting together on podium and reading from digital pad
Photo by Ron Lach on Pexels.com

Deixe um comentário