O sucesso de Leona Lewis nos EUA

Pra continuar no assunto do post de uns dias atrás, sobre os problemas do lançamento do álbum de Kylie nos EUA, eu comentei lá rapidamente o exemplo do repentino sucesso da Leona Lewis comparando as estratégias de lançamento.

Essa semana, adivinha, o Spirit de Leona chegou arrasando qualquer outro lançamento recente britânico na Billboard, em #1 na parada de álbuns, vendendo cerca de 205 mil cópias em sua primeira semana. Uma artista inglesa não atingia esse post desde Sade, em 1986.

Spirit é bem medianinho, aposta forte nas baladonas pra mostrar a potência vocal de Leona. Para quem não conhece, ela foi a vencedora do X Factor, programa que veio da versão original inglesa de American Idol e é comandado pelo jurado nervoso Simon Cowell. Ela ganhou não a última edição mas a anterior, e desde o começo, deu pra perceber que o “pessoal” ficou realmente empenhado em fazer dela uma divinha mundial, com capa na Harper’s Bazaar inglesa, vestidões Dolce & Gabbana no clipe e uma preparação muito maior para seu primeiro álbum que, ao contrário de outros tantos vencedores desses reality shows musicais, demorou quase um ano para ser lançado!

Para sua chegada à América, Leona teve seu clipe refeito, afinal, a versão inglesa era glamour demais para estrear no mercado americano. Na imagem lá de cima dá pra ver a diferença, aquele modelão D&G da fechadura, glamour total, no clipe britânico e o visual mais relaxado no clipe americano, gravado no meio da Time Square em Nova York. Além disso, Leona esteve em episódio do programa da Oprah, ao lado de Simon Cowell, em uma plataforma de lançamento que não poderia dar errado.

Claro que as diferenças são mil entre os lançamentos de Kylie e Leona, e mesmo entre o perfil das duas, mas o mais interessante é observar os diferentes recursos utilizados em cada lançamento, as diferentes estratégias e, no fim das contas, os resultados opostos. Uma pena, ainda acho que Kylie e seu álbum teriam um potencial bem diferente do gosto de perdedor do fraco lançamento de X se seu “pessoal” assumisse que conquistar a grande audiência dos EUA já estava no caminho de Leona Lewis e sua Bleeding Love.

Ok, talvez eu esteja super na nóia da comparação das duas, mas acho que, pra quem fica sempre de olho no mercadão americano, é interessante olhar com atenção, ainda mais que as tentativas de sucessos ingleses chegarem aos EUA sempre rendeu resultados bastante duvidosos (Robbie Williams?)!

Pra ver:
:: Leona Lewis – Bleeding Love (clipe)
:: Kylie Minogue – All I See (versão ‘banquinho e violão’)

2 comentários em “O sucesso de Leona Lewis nos EUA”

  1. ACHO A GEMEA MARY-KATE OLSEM RIDÍCULA, RIQUÍSSIMA,PORÉM, NÃO SABE SE VESTIR. ELA É JOVEM, MAS, SEUS TRAJES SÃO DE “VELHA” DE MULHRES MADURAS E NÃO DE UMA JOVEM DE APENAS 21 ANOS.MARY NÃO É BOA ATRIZ, NEM CARISMÁTICA,NÃO TEM TALENTO.A MARY -KATE ESTAVA NO OSTRACISMO, NINGUÉM SE LEMBRAVA DELA ATÉ QUE SEU NOME APARECEU NA ÉPOCA DA MORTE DE HEATH LEDGER.ELA TINHA UM TÓRRIDO CASO COM O ATOR DESDE QUE ELE SE SEPAROU DE MICHELLE WILLIANS.O ATOR NUNCA ESCONDEU QUE AMAVA A MÃE DA FILHA DELE.PENSO QUE MARY-KATE SÓ SERVIU DE CONSOLO PARA O ATOR ENQUANTO ELE AGUARDAVA REATAR COM MICHELLE WILLIANS.

    Responder

Deixe um comentário