Vai lá e faz: a fotografia viajante de Mike Brodie

Mike Brodie pegou a primeira carona em um trem aos 17 anos. No sentido errado. Enquanto voltava para seu destino original, ele viu que podia aproveitar mais dessa maneira de viajar e resolveu estender a jornada, pulando de trem em trem por mais três dias. Com uma polaroide antiga achada no banco de trás do carro de um amigo, Brodie começou a registrar os “mendigos e vagabundos” que encontrava pelo caminho, enquanto percebia que, na verdade, esses companheiros temporários de viagem deviam mesmo é ser chamados de artistas, músicos ou escritores.

Com o fim dos filmes, a polaroide foi trocada por uma 35mm usada enquanto a viagem de um verão se estendia por cerca de quatro anos nos vagões invadidos ou pelas caronas de carros e caminhões, o que lhe levasse adiante para mais personagens, mais destinos e mais fotos. “Cada vez que dava pause e retornava para visitar minha mãe, com a mesma camiseta fedida, as mesmas meias e a mesma calça com remendos, ela perguntava ‘Mike! Você é tão bonito! Por que você se veste assim?’. Minha resposta era sempre ‘Eu não ligo!'”, conta Brodie em uma das entrevistas sobre a aventura. Se fosse outro, os cliques iriam para o Instagram e as selfies seriam obrigatórias a cada trem diferente. Mas Mike conta que não estava atrás da fama; a galeria online assinada pelo “Polaroid Kidd” foi tirada do ar assim que começou a ganhar maior projeção.

“Eu poderia fazer isso pra sempre, seria muito fácil viver desse jeito”, ele revela em outra entrevista, mas a vontade de expandir para novas áreas de atuação o levou a um endereço fixo em Oakland, onde divide a garagem de uma oficina (na qual trabalha) com amigos. As imagens de seus negativos são impactantes pelas paisagens e pelos personagens, em um diário de viagem lindo e cru sob olhar de Mike, tornado livro em 2013 (e com edições especiais à venda aqui). Mas as fotos marcam também por aquela vontade que bate de tempos em tempos de largar o que nos prende e ir atrás de uma aventura como essa. Mike Brodie foi. Um pouquinho do resultado está nos cliques da galeria acima.

Mais:
Mike Brodie Photography
A Period of Juvenile Prosperity – Twelvetrees Press
The Train-Hopping ‘Polaroid Kidd’ settles in Oakland – KQED

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.