Alexander Wang faz a gente gostar das parcerias fast fashion de novo

casacos_wang_hm

Alexander Wang sabe o que faz. Depois de temporadas tentando provar que é mais do que o consagrou na semana de moda Nova York, o estilista voltou a fazer o que domina como ninguém em sua etiqueta principal: sportswear luxuoso com injeção de alta dose de cultura urbana (relembre o desfile de verão 2015 aqui). Na sequência, assumiu, sem saber, outra missão: a de criar desejo de novo pelas então saturadas parcerias de grifes e marcas fast fashion com sua coleção para a sueca H&M, celebrada oficialmente com um megaevento em Nova York nessa quinta-feira (16). O timing da divulgação desta foi ótimo, lançada antes que a versão mais completa e mais legal do tema chegue às lojas (com etiqueta de preços cheios) em fevereiro/março do ano que vem (gasta primeiro um pouquinho na versão mais barata e depois estoura o cartão com as peças “originais”). Parceria usada como esquenta.

Se estilistas lançassem greatest hits da mesma maneira que músicos, esta coleção serve como um bom template. Junta as referências mais fortes que pontuaram a carreira até agora em um mix de peças das mais fáceis (pra quem não é tão fã assim) às de arrombo fashionista maior, pra fazer bonito no insta (pra quem é fã-on-a-budget). Tão ali os tops de academia (de agora) e as leggings que levam o sobrenome do designer (fitness ao extremo pontuado pelos coletes, luvas de boxe e pela performance que abriu o show), mas também estão os casacões de efeito, os looks com tiras de transparências (à la verão 2013) mais acessórios desejados desde que os primeiros cliques de lookbook foram divulgados, incluindo botinhas muito parecidas com as que foram uns de seus primeiros hits — todos devem voar (alguns voaram ali no lançamento mesmo) das araras. O barulho da empreitada é tão grande que especula-se que o Alex pode encarar uma aventura pelo fitness de verdade no futuro. Até Dakota Fanning deixou o look de bordados preciosos de lado e se meteu num vestido-camiseta que poderia ser levado, sem os saltos que o acompanhava, direto para a academia mais próxima (academia é o novo after).

Além do desfile (com um casting digno de qualquer grande marca), a noite terminou com uma apresentação da rapper Missy Elliott (M.I.A. do grande público faz um bom tempo) com tops, atrizes e convidados se jogando na pista (e floodando o instagram como nunca), bem do jeitão das famosas festas de Wang que agitam toda edição da NYFW. Esse tipo de comoção também faz com que qualquer preocupação com os meios de produção dessas peças mais baratas (um dos motivos pelos quais as fast fashions ganham olhares tortos) seja abafada pela potência tão alta do fervo e das imagens, pra garantir que nenhuma pessoa saísse dali sem dúvidas sobre o futuro sucesso dessa coletânea. Nas lojas da H&M dia 06.11.

wang_hm392382

92392832

wang9389832

10659425_10152388094070913_2192866556814580606_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.